Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2010

Psicologia humanista

Psicologia humanista Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação, pesquisa Psicologia humanista é um ramo da psicologia surgida como uma reação ao determinismo práticas psicoterapêuticas. Seu enfoque é a humanização da psique, considerando o homem como um processo em construção, detentor de liberdade e poder de escolha. dominante nas Em sua concepção, o comportamento do ser humano está sempre em busca da autonomia em qualquer que seja a situação imposta pelo ambiente exterior, desde que esteja livre da dominação de necessidades inferiores como as necessidades fisiológicas e de segurança. Os expoentes desta linha psicológica são Carl Rogers, com sua abordagem centrada na pessoa,nessa abordagem quem direciona o rumo da psicoterapia é o paciente e não o psicoterapeuta, e Abraham Maslow com a hierarquia das necessidades, na qual ele considera que as pessoas passam por fases da vida onde buscam determinadas necessidades. As necessidades que estão na base dessa hiera…

REVISTA EDUCAÇÃO - EDIÇÃO 158

Abandono da inovação

Concebidos para aproximar a pesquisa acadêmica e a formação docente, sintonizando-as com novas práticas pedagógicas, os Colégios de Aplicação não têm sido objeto de interesse nem mesmo das universidades Gabriel Jareta
Escola de Aplicação em Nazaré da Mata (PE): isolamento em relação às redes
Um ambiente que propiciasse a formação de professores em contato direto com as práticas pedagógicas, que fomentasse a renovação metodológica alicerçada em pesquisas acadêmicas criteriosas e que estimulasse a circulação de bibliografia inovadora e a retroalimentação de conhecimentos em todo esse processo. Ou seja: uma escola ligada à universidade em que a ação de pesquisadores envolvidos com a formação ajudasse a testar, implementar e analisar criticamente novas ações pedagógicas, de forma que elas retornassem ao ambiente formativo e fossem novamente reprocessadas para formar outras gerações de novos docentes, num processo contínuo. Em linhas gerais, é esse o espírito que pauta a …

ECONOMIA DA EDUCAÇÃO[

ECONOMIA DA EDUCAÇÃO[1]
Disciplina surgida em meados dos anos 1950, nos Estados Unidos, quando um grupo de estudiosos do desenvolvimento econômico, inspirados na teoria econômica neoclássica, estava ocupado em explicar os ganhos de produtividade gerados pelo fator humano na produção, preocupação especialmente forte no período de expansão do capitalismo após a Segunda Guerra Mundial. Basicamente, buscava-se entender e explicar o valor econômico da educação, bem como a possibilidade de mensurá-lo. O pressuposto era o de que acréscimos marginais de instrução, treinamento ou educação do trabalhador, correspondiam a um acréscimo marginal na capacidade de produção. A conclusão necessária dessa premissa era a de que os investimentos em educação seriam muito rentáveis para a produção (para o capital), o que levou à sistematização e disseminação da Teoria do capital humano. Dentre seus formuladores destaca-se Theodore W. Schultz, professor do departamento de economia da Universidade de Chicago.…

Necessidade (psicologia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação, pesquisa A Wikipédia possui oPortal de Psicologia
Necessidade designa em psicologia um estado interno de insatisfação causado pela falta de algum bem necessário ao bem-estar[1]. Henry Murray (1938)[2], um dos primeiros a pesquisar sobre o assunto, classificou as necessidades em necessidades primárias ou viscerogênicas, que são as necessidades de natureza biológica (fome, sede, sono), e necessidades secundárias ou psicogênicas, que são necessidades que derivam de uma necessidade primária ou são inerentes à estrutura psíquica humana. Como a pessoa procura diminuir o estado interno de deficit, uma necessidade funciona como um impulso para determinados comportamentos. A intensidade de uma necessidade determina a intensidade do comportamento a que ela está ligada: quanto mais intensa a necessidad, mais intensa a ação. Tal "intensidade" pode se expressar de diferentes formas: pelo vigor, entusiasmo, perseverança -…

Nosso Blog chegou a marca de 450 mil visitas

Obrigado, nosso  Blog chegou a marca de 450 mil visitas, meu muito, mas muito obrigado mesmo a você que nos acompanha.



Obrigado por sua visita, volte sempre.

Educação e Direito são as áreas de mestrado mais procuradas no Brasil

Educação e Direito são as áreas de mestrado mais procuradas no Brasil
Pesquisa revela quais são os cursos de pós-graduação e mestrado mais solicitados no país nos últimos dois anos
Com cerca de 20 mil visitas diárias e mais de 25 mil pedidos de informação a cada mês, o portal Educaedu (www.educaedu-brasil.com) traçou, na última segunda-feira, um perfil dos cursos brasileiros mais buscados pelos internautas nos últimos dois anos. Os dados refletem a quantidade de usuários que solicitaram dados sobre diploma, certificação do MEC, preços, datas e grades curriculares de pós-graduações e mestrados nos dois últimos anos.

Segundo o levantamento, desde junho de 2008, a área de Educação é a mais requisitada para mestrados, com 14,18% do total de pedidos de informações. A segunda mais buscada é a Direito, com 9,3% dos 61.418 formulários preenchidos. Já o terceiro lugar na lista mudou de um ano para o outro. Entre junho de 2008 e maio de 2009, Administração de Negócios ganhou esta posição, assumida…

O Preconceito em Relação à Filosofia Oriental

Quando se fala em preconceito, logo imaginamos um caso de racismo ou discriminação contra a mulher, deficientes, homossexuais ou outras minorias. Mas é interessante refletir também em torno de outras formas de preconceitos, de fato mais sutis, mas nem por isso menos discriminatórias. É o caso de algumas idéias preconcebidas, mais assemelhadas a rótulos, que vigem no mundo acadêmico. Especificamente, convoco todos a uma reflexão a respeito do desdém científico-filosófico pelas doutrinas e teorias que advêm do outro lado do meridiano, a ponto de simplesmente taxá-las de místicas ou não-científicas.
Ora, o fato da filosofia oriental aparecer, por não raras vezes, associada a alguma religião, não subtrai sua autonomia enquanto filosofia – afinal, a religião, para fundamentar suas doutrinas, dogmas e crenças (ou crendices) recorre à filosofia.
Sabe-se que tanto a ciência como a filosofia buscam uma explicação da realidade a partir daquilo que ela mesma manifesta, ou seja, das próprias coisas…

SOLIDÃO

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Solidão é um sentimento no qual uma pessoa sente uma profunda sensação de vazio e isolamento. A solidão é mais do que o sentimento de querer uma companhia ou querer realizar alguma atividade com outra pessoa não por que simplesmente se isola mas por que os seus sentimentos precisam de algo novo que as trasforme. Um dos primeiros usos a serem gravados da palavra "solitário" está na tragédiaCoriolanus, Ato IV Cena 1, de William Shakespeare, escrita em 1608. Distinção da solitudeSolidão não é o mesmo que estar desacompanhado. Muitas pessoas passam por momentos em que se encontram sozinhas, seja por força das circunstâncias ou por escolha própria. Estar sozinho pode ser uma experiência positiva, prazerosa e trazer alívio emocional, desde que esteja sob controle do indivíduo. Solitude é o estado de se estar sozinho e afastado das outras pessoas, e geralmente implica numa escolha consciente. A solidão não requer a falta de outras…